Secretário de saúde de RO anuncia concurso para final de agosto e fala do novo hospital de urgência

Secretário de saúde de RO anuncia concurso para final de agosto e fala do novo hospital de urgência

O secretário de saúde Rondônia, Williames Pimentel, afirmou que até o final de agosto deste ano deve ser realizado um concurso público para contratar profissionais da área da saúde, em substituição aos que tem contrato emergencial. A informação foi repassada durante entrevista na Rádio Transamérica em Porto Velho, no início da noite de quinta-feira (28). Além disso, o secretário ainda falou sobre a construção do novo pronto-socorro estadual e do hospital de Ariquemes.

“Até o final de agosto deve ter concurso público para substituir os que estão em caráter provisório, os que estão emergencialmente contratados, até o final de agosto. Teremos vagas para médicos, técnicos de enfermagem, fisioterapeutas, vários profissionais da saúde”, garante o secretário da Sesau.

Pimentel fez um balanço da melhoria da rede estadual de saúde. Segundo o secretário, o “cenário mostra avanços em prestação de oferta de serviços mais ampliados em um processo cada vez mais de evolução”. Entre as  melhorias, estão a criação do Serviço de Assistência Multidisciplinar Domiciliar (Samd), com 180 pacientes sendo atendidos em casa, a criação de novos leitos de UTI, ampliação do número de cirurgias, além do aumento do número de internações. “Há ainda uma linha de satisfação quando criou-se transplante de rim e córnea no Hospital de Base, e também a divisão do estado em duas macrorregiões, ao se criar o Pronto-Socorro em Cacoal”.

Secretário de saúde de RO anuncia concurso para final de agosto e fala do novo hospital de urgência (1)

Pronto-socorro

Por muitos anos, Pronto-Socorro e Hospital João Paulo II foi alvo de várias reclamações da população. Eram falta de leitos, pacientes jogados pelo corredores na unidade e também a falta de atendimento.

Segundo o Pimentel, hoje a realidade está diferente. “O João Paulo é uma unidade de urgência e emergência que nós fizemos várias ações para poder mantê-lo, numa condição ainda de superlotação, mas numa condição mais favorável para quem trabalha ter condições de trabalhar, e que haja uma satisfação do usuário com a equipe para poder salvar as pessoas que ali vão, que precisam do primeiro atendimento para estabilizá-lo e tirá-lo da morte. Então a criação de 70 novos leitos de retaguarda no hospital Santa Marcelina, os 200 leitos do Hospital de Base, o próprio Sand com 180  leitos, mais 129 leitos de UTI e o novo pronto-socorro de Cacoal foram todas medidas concretas tomadas para poder distensionar o heróico mas cansado espaço físico do JPII enquanto nós tentamos construir o novo pronto socorro do estado”, explicou.

Já o novo pronto-socorro, a obra ainda não foi concluída e está parada. Pimentel afirma que o local deve ser concluído ainda antes do término do mandato do governador Confúcio Moura. “O governador Confúcio viabilizou o empréstimo no BNDES pra construir o novo pronto-socorro. Nós tivemos problemas com a obra, houve uma rescisão de contrato com a empresa que vinha fazendo, que já fez toda a base da construção. Agora, nos próximos dias, estamos tornando a licitar. Há um meta do governador em concluir essa obra antes do término do seu mandato pra poder neutralizar o JPII e consolidar um legado de deixar um novo pronto-socorro na capital e no estado”, garantiu.

Já sobre o novo hospital de Ariquemes, que a obra está parada há cerca de um ano, o secretário garante que as providências estão sendo tomadas. “A empresa está pedindo rescisão, e o estado está recusando, Tudo indica que vamos entrar numa demanda judicial porque a empresa não quer reiniciar a obra, mesmo tendo depositado na Caixa Econômica Federal, R$ 17 milhões, o que representa 50% de todo o investimento da construção”, finaliza o secretário.

Fonte: Jaruonline